×
Algoritmo do Google: quais são e por que você deve conhecê-los

Saiba quais são as principais atualizações do algoritmo do Google e por que você deve conhecê-las para otimizar o site da sua companhia.

O algoritmo do Google é o programa que funciona nos bastidores do mecanismo de busca. Essa ferramenta é responsável por filtrar e entregar as informações nas páginas de resultado, variando de acordo com a busca de cada visitante ou os fatores de ranqueamento de cada palavra-chave.

Mesmo quem não é da área de Marketing Digital certamente já ouviu falar nas mudanças que o famoso algoritmo do Google causa. Como muita gente faz uso dos buscadores para realizar pesquisas na internet, seguramente em algum momento já foi impactado pelas alterações ocorridas no algoritmo. 

Se alguma página não estiver de acordo com os fatores de ranqueamento considerados pelo buscador em questão, tal situação pode se traduzir em uma queda do tráfego orgânicoNos principais buscadores, o algoritmo é o agente responsável por recomendar o que é mais relevante para cada usuário

Para chegar a esse resultado, o algoritmo analisa mais de 200 fatores diferentes que, em cada caso individual, acabam por definir a ordem das páginas que serão apresentadas. 

Sem a regulação e controle realizados pelo algoritmo os resultados que recebemos ao realizar uma busca seriam mostrados de forma totalmente aleatória, dificultando ainda mais a nossa pesquisa. Confira a seguir o guia completo que preparamos para te explicar tudo sobre o algoritmo do Google e porquê você deve conhecer suas principais variedades. 

algoritmo do google

O que é um algoritmo?

De maneira prática, o algoritmo do Google pode ser definido como uma sequência lógica de instruções, que são realizadas todas as vezes que um certo comando é ativado. Nesse caso específico, a sequência se inicia quando o visitante realiza uma pesquisa para encontrar informações. 


Assim, o algoritmo do Google engloba um conjunto de operações responsáveis pela definição da ordem dos resultados encontrados, além do seu ranqueamento e apresentações específicas para cada usuário. 


Os critérios usados pelo Google — ainda desconhecidos — permitem que a plataforma consiga apresentar para cada busca uma lista de páginas ranqueadas por ordem de relevância. 


Para quem trabalha com isso, compreender a lógica desses critérios é imprescindível para a realização de um trabalho pautado em boas dicas de SEO


O algoritmo do Google pode ser definido como uma sequência lógica de instruções, que são realizadas todas as vezes que um certo comando é ativado


Compreender o funcionamento do algoritmo do Google é um desafio essencial para quem lida com as ferramentas SEO. Atualmente, existe um grande número de profissionais e estudiosos da área buscando compreender o funcionamento do mesmo. 


Enquanto o Google não divulga os segredos do ranqueamento na SERP, diversas especulações ocorrem no mundo virtual. 

O que se sabe é que o algoritmo do Google nada mais é que um conjunto de operações que determina a maneira como os resultados das buscas são entregues aos visitantes. 


Como o algoritmo do Google funciona?

O algoritmo do Google funciona quando alguém faz uma pesquisa. Entretanto, alguns passos devem ser dados até os resultados chegarem aos usuários. 


De maneira geral, o algoritmo serve para descobrir, entender e organizar todo o conteúdo da internet e, a partir dessa “pesquisa particular”, entregar as melhores respostas para as pesquisas realizadas. 


Buscadores como o Google são nada mais que ferramentas especializadas em tirar dúvidas. Assim, o melhor resultado é o que indica a melhor resposta levando em conta conteúdo e qualidade na experiência. 


Para chegar com as respostas toda vez que você digita alguma coisa na barra de busca, o Google percorre um longo caminho. Confira a seguir mais detalhes sobre as etapas percorridas. 


Rastreamento

O primeiro movimento realizado pelo algoritmo do Google é o rastreamento das páginas que estão disponíveis para servirem como resultados para uma determinada pesquisa


Para que esse movimento seja feito, é utilizado um sistema de “crawlers” que é capaz de organizar os sites em um banco de dados. 


Diferente do que imaginamos, essa ação ocorre o tempo todo — independente da pesquisa dos usuários — e é realizada através de robôs, os Googlebots, que buscam o conteúdo de cada URL disponível na internet e armazenam as informações de cada um no servidor. 


As páginas encontradas são utilizadas como mapas para novos caminhos onde os robôs percorrem para rastrearem mais links e adicionarem no banco de dados.


Portanto, uma das medidas principais de uma estratégia SEO bem elaborada é fazer com que sua página seja encontrada pelos Googlebots. 


Criar uma lista chamada sitemap facilita muito o rastreamento e a indexação do conteúdo, partindo do princípio que os códigos sejam simples e limpos. 


Indexação

Após o rastreamento, todas as URLs encontradas são armazenadas em um banco de dados — mesmo local onde estão vários conteúdos da web. 


Lá eles serão organizados com o objetivo de que, mais para frente, sejam encontrados durante alguma busca realizada por um usuário. 


O armazenamento das páginas encontradas pelos Googlebots é feito no banco de dados a partir das palavras que elas contém. 


Entretanto, no momento que um usuário realiza uma busca, as páginas são encontradas e selecionadas a partir das palavras-chave que são essenciais para seu ranqueamento nas buscas. 


Isso significa que o algoritmo é capaz de compreender quais são as palavras-chave mais importantes de acordo com o contexto geral, a frequência com que elas aparecem e os locais onde estão dispostas no texto. Por isso dizemos que esses termos funcionam como entradas para a página. 


algoritmo do google

Ranqueamento

Terceiro e último passo, o ranqueamento é efetivamente onde o algoritmo do Google entra em ação pra valer. É nesta etapa que o buscador faz uso de vários algoritmos para realizar a classificação dos sites. 

O objetivo é entregar as melhores respostas para o visitante, dispostas em uma ordem que selecione os links mais relevantes primeiro. Assim, é possível entender que, quanto mais no topo estiver uma página, maior é seu nível de relevância para a pesquisa feita


Assim, todas as vezes que um usuário realiza uma pesquisa, esses algoritmos buscam o índice previamente construído e avaliam diversos fatores de ranqueamento. Atualmente supõe-se que são mais de 200 fatores, mas essa informação nunca foi confirmada pelo Google. 


Para mais dicas sobre como ter uma página bem sucedida, não deixe de ler nosso artigo sobre como fazer seu site aparecer no

Google.


Principais atualizações de algoritmo do Google

Como o algoritmo do Google está em constante mudança, diversas atualizações são feitas de tempos em tempos. Reunimos aqui uma lista com as principais atualizações que ocorreram ao longo dos últimos anos. 


Florida 

Considerada a primeira grande atualização do Google, foi a responsável por colocar o SEO no mapa, retirando no seu lançamento cerca de 50% dos sites que estavam listados até o momento. A Flórida foi criada com o intuito de eliminar páginas de baixa qualidade. 


Panda

Quase dez anos mais tarde, a Panda surgiu para penalizar sites com conteúdo de baixa qualidade. 

Com o lançamento dessa atualização, aproximadamente 12% dos resultados de pesquisa foram afetados, principalmente os que contavam com um alto número de anúncios.  


Penguin

Logo em seguida da Panda, a Penguin ficou conhecida por ser responsável por conter o excesso de otimizações no conteúdo. No momento do lançamento, cerca de 3,1% dos resultados de buscas em inglês foram afetados. 


O objetivo da nova atualização era penalizar páginas que praticavam keyword stuffing e outras técnicas de Black Hat. Nos anos seguintes a Penguin passou por diversas melhorias e lançamentos até chegar na versão atual. 


Hummingbird

Destacando-se das anteriores, a Hummingbird pode ser considerada uma revisão completa do algoritmo do Google. A partir do ano de 2013 os resultados foram além da palavra-chave e passaram a considerar o universo semântico, incluindo sinônimos e contexto utilizado na pesquisa. 


Seu objetivo principal é permitir que os resultados encontrados estejam mais relacionados com a intenção de busca do próprio usuário. 


HTTPS/SSL Update

A atualização de 2014 chegou para anunciar que o HTTPS passou a ser um fator de ranqueamento, tornando-se uma maneira de ampliar o incentivo para tornar a internet mais segura. 


Mobilegeddon

Voltada para dispositivos móveis, a Mobilegeddon foi uma atualização voltada para priorizar páginas amigáveis para os mecanismos de busca usados nos dispositivos móveis, sem considerar se o site era mais ou menos adaptável aos mesmos. 




Rankbrain

Lançado no mesmo ano que o Mobilegeddon, o Rankbrain pode ser considerado um sistema que adiciona inteligência artificial ao algoritmo do Google, auxiliando na interpretação e apresentação dos resultados de busca. 

De acordo com o próprio Google, o Rankbrain se tornou um dos três principais fatores de ranqueamento, ao lado da linkagem e conteúdo. 


Fred


Lançada em 2017, a Fred chegou para identificar páginas com conteúdo de baixa qualidade e alto número de propagandas e banners. 


Medical Update


Em 2017 a Medical Update foi lançada e gerou bastante impacto por causa das mudanças que promoveu e o impacto que causou no posicionamento de várias páginas.  


Apesar da polêmica, essa atualização foi considerada uma medida para melhorar as métricas de qualidade, deixando claro que as páginas que foram impactadas negativamente não tinham propriedade para tratar de determinado assunto. 


EAT

A EAT pode ser considerada uma alteração complementar à Medical Update, visto que tratou de termos já identificados pelos profissionais de SEO, mas que não haviam sido bem especificados em atualizações anteriores. 


A sigla para Expertise, Authoritativeness e Trustworthiness (Expertise, Autoridade e Credibilidade) marca a mudança para uma diretriz fundamental para o ranqueamento. Isso significa que, com a EAT, a importância de promover um conteúdo de qualidade na internet ficou ainda maior. 


Update de confiabilidade

Atendendo a um pedido frequente da comunidade, o Google lançou uma atualização que ficou conhecida pelo impacto causado na confiabilidade dos resultados de busca. 


O maior impacto negativo foi em sites de notícia, o que deixou claro que a confiança dos usuários na qualidade dos conteúdos se tornou um fator extremamente relevante. 


Update de diversidade

A partir dessa atualização, as páginas passaram a contar com apenas dois resultados diferentes na primeira página da serp. Ou seja, significa que os portais que reuniam diversos resultados para uma só pesquisa tiveram o volume de links diminuídos para dois. 


BERT

Considerada a última atualização de 2019, a BERT foi uma alteração baseada em um projeto de processamento de linguagem natural com redes neurais. 


Favicon

A partir do lançamento da Favicon a página de resultados passou a deixar de repetir o conteúdo em destaque e apresentá-lo na sua posição original. Apesar de ser a primeira mudança de 2020, não foi muito bem recebida pelo público. 




As atualizações do Google afetam o meu site?


Para além de conhecer as atualizações do Google, é importante entender como as mesmas afetam a sua página. De maneira geral, podemos reunir duas justificativas para o impacto causado na sua página:


  • Através das atualizações é possível compreender como e porque as métricas estão impactando sua página;
  • Ao conhecer as atualizações, fica mais fácil compreender como se adaptar mais rapidamente às mudanças ocorridas e criar um plano de ação.

Como o Google está sempre atualizando o algoritmo, é imprescindível que você se mantenha atualizado sobre as mudanças. Somente assim será possível continuar gerando tráfego orgânico. 


Como se preparar para o algoritmo do Google?

Agora que você já compreendeu a importância de se manter informado sobre as atualizações do algoritmo do Google, está na hora de saber como se preparar para enfrentar o mesmo. 


O primeiro passo é otimizar seu site para o EAT, como vimos essa atualização passou a classificar a qualidade de uma página. Através da verificação do EAT de um site seu posicionamento pode melhorar ou piorar. 


Isso significa que, quanto maior o nível de conhecimento, confiabilidade e autoridade que seu site tiver, maior será o nível de qualidade do mesmo sob os olhos do Google. Outro ponto interessante é criar conteúdo voltado para pessoas. 


Pela BERT, o caminho para conquistar o algoritmo do Google é através da oferta de uma linguagem natural que seja compatível com as intenções de busca dos usuários. Ou seja, quanto mais natural e “humanizado” for seu conteúdo, mais bem avaliado ele será pelo Google. 



Atualmente a plataforma já está transformando o algoritmo em especialista em linguagem natural, capaz de compreender cada vez mais os conteúdos de forma semelhante ao ser humano. 

E aí, achou interessante e quer saber mais? Então não deixe de visitar nosso blog e dar uma olhada nos artigos por lá. Muitos outros assuntos estão por lá e certamente vão te ajudar muito a entender mais sobre esse universo.

Retirado de: https://www.hostgator.com.br/blog/algoritmo-google-quais-sao/